soccernet blog
Castrol Rankings
Posted by Damian Didonato on 06/28/2010

As seleções da América Latina são a grande surpresa da Copa do Mundo. No final da primeira fase de quatro das equipes, o resultado é ótimo: três terminaram liderando seus grupos e o quarto também se classificou. São, sem dúvida, os times que marcam o rumo num torneio medíocre.
Argentina é o referente deste quarteto d’ouro. A equipe de Diego Maradona terminou uma primeira fase impecável, com três vitórias, sete gols marcados e só um recebido. Além destes números impressionantes, o melhor da Albiceleste apareceu no jogo, em como conseguiu superar as dificuldades e na atitude mostrada nestes primeiros jogos.
Ante Grécia passou mais uma prova importante: venceu claramente a um rival que só quis destruir o jogo argentino. Liderado por Juan Sebastián Verón, teve paciência quando precisava e acelerou quando devia. Assim, conquistou uma vitória previsível e justa.
A seleção argentina mostrou de novo uma ampla variedade de opções ofensivas. Quando Lionel Messi sofre uma marca específica e não consegue fazer um boa apresentação, aparecem Verón, Javier Pastore e até o eterno Martín Palermo.
Outra das virtudes que ficaram mais evidentes neste jogo foi o uso das bolas paradas como arma importante. O primeiro gol contra a Grécia chegou num escanteio, com a incorporação de um zagueiro. Martín Demichelis não está fazendo um bom torneio, e seu gol pode ser chave para melhorar sua disposição nas oitavas de final.
O balanço argentino desta fase é perfeito. Diego Maradona mostrou que é realmente um treinador, acertou nas substituições e passou tranqüilidade aos jogadores. Soube tirar o melhor do Lionel Messi e encontrou um grande parceiro para ele, Carlos Tévez. Ainda melhor, suas mudanças na zaga argentina contra Grécia agregaram mais possibilidades, pela boa apresentação dos laterais Nicolás Otamendi e Clemente Rodríguez.
A Albiceleste tem tudo para fazer história, e mostra cada vez mais firmeza. Se manter o nível que mostrou no grupo B, será um grande candidato para conquistar a Copa do Mundo no próximo dia onze de julho.
O próximo oponente da equipe de Maradona é o México, uma partida que se repete nas oitavas pela segunda Copa consecutiva. As ações do Tri caíram após a derrota ante o Uruguai. A equipe do Javier Aguirre tinha vencido com clareza da França no segundo jogo, mas não manteve a boa apresentação contra o Uruguai e perdeu por 1-0, se classificando como segundo do grupo A.
Muitos não acreditavam na classificação dos mexicanos pelos vários erros durante o primeiro jogo, que se repetiram no terceiro. Só ante a França o jogo melhorou. Contra Uruguai não houve jogo ofensivo e sofreram na zaga. Por essa falta de consistência, não conseguiu os pontos necessários para evitar a Argentina nas oitavas, equipe que já eliminou o México nas últimas três competições oficiais.
O Uruguai saiu beneficiado, dado que passou como primeiro e já derrotou a acessível seleção da Coréia do Sul, numa noite mágica de Luis Suarez e os charruas na chuva de Port Elisabeth.
Uruguai segue rompendo recordes, já que ganhou três partidas seguidas na mesma Copa do Mundo depois de mais de 56 anos, passou da primeira fase sem tomar gols pela primeira vez, e Muslera superou o recorde de invicto do lendário Mazurkiewicz. Por tudo isto, é um momento histórico para o futebol charrua, que volta ao primeiro nível mundial, e deverá derrotar a Gana para chegar às semi-finais.
Honduras foi a única equipe latina eliminada na primeira fase. Porém, os hondurenhos conseguiram um merecido empate no último jogo do grupo ante a Suíça. A Copa foi uma excelente experiência para o futebol de Honduras, que sem dúvida extrairá bons aprendizados dela.
Finalmente, Paraguai foi o último em entrar na festa latino-americana nas oitavas de final. A Albirroja ganhou seu grupo pela primeira vez na história após empatar sem gols frente à Nova Zelândia na terceira rodada.
No jogo contra os All Whites, a equipe do Gerardo Martino teve algumas chances de gol, mas não conseguiu finalizar e terminou se conformando com um empate sem risco que lhes deixava como lideres do grupo. Na próxima fase terão um rival complicado, mas ninguém vai querer se cruzar com uma das seleções mais duras do melhor continente da Copa do Mundo: América do Sul.

FIFA Official Emblem © 2005 FIFA TM
© ESPN Soccernet 2010
Cricinfo
Soccernet
ESPN